Ir para o conteúdo

É graduada em Ciências Sociais pela PUC-Rio (1991), mestre em História Social da Cultura pela PUC-Rio (1995) e doutora em História Social pela Universidade Federal Fluminense (2006). É pesquisadora da Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz e professora do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde (COC/Fiocruz), do qual foi coordenadora-geral de julho de 2013 a junho de 2015. Foi membro da diretoria da Sociedade Brasileira de História das Ciências (2009-2012). Suas áreas de pesquisa e ensino são: história das ciências biomédicas no Brasil; história da medicina tropical (em particular da doença de Chagas); história da cardiologia no Brasil; história das relações científicas e culturais entre Brasil e Estados Unidos no século XX. Realizou estágio pós-doutoral entre 2017 e 2018 na Universidade de Michigan. Desde então, vem desenvolvendo pesquisas sobre a diplomacia cultural e os intercâmbios educacionais e científicos entre Estados Unidos e Brasil durante a Segunda Guerra Mundial.

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Grupos de pesquisa do CNPq:
Ciência e medicina na história das relações transnacionais
Estudos históricos e sociais da ciência e da tecnologia

Linhas de pesquisa no Programa:
História das Ciências Biomédicas
História das Políticas, Instituições e Profissões em Saúde
História da Medicina e das Doenças

Projetos de pesquisa no Programa:
Medicina, tecnologia e política: a história da cardiologia no Brasil (décadas de 1930 a 1950). 
Ciência e medicina nas relações científicas transnacionais.
História da Medicina Tropical.

Produção em destaque:
KROPF, Simone P.; HOWELL, Joel D. "War, medicine, and cultural diplomacy in the Americas: Frank Wilson and Brazilian cardiology." Journal of the History of Medicine and Allied Sciences,  v. 72, n. 4,  October 2017, p. 422–447.

KROPF, Simone Petraglia. Diálogo entre la historia de la medicina y los estudios histórico-sociales de la ciencia. In: Carolina Biernat; Karina Ramacciotti. (Orgs.). Historia de la salud y la enfermedad bajo la lupa de las ciencias sociales. Buenos Aires: Biblos, 2014, p. 69-82.

KROPF, Simone. O coração do trabalhador: cardiologia e projeto nacional no Estado Novo. In: ANDRADE, Marta Mega de; SEDREZ, Lise; MARTINS, William de Souza (Orgs). Corpo: sujeito e objeto. Rio de Janeiro: Ponteio, 2012. p. 221-245.

KROPF, Simone Petraglia; Hochman, Gilberto. From the Beginnings: Debates on the History of Science in Brazil. The Hispanic American Historical Review, v. 91, n. 3, 2011, p. 391-408.

KROPF, Simone Petraglia. Doença de Chagas, doença do Brasil: ciência, saúde e nação. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2009.

KROPF, Simone Petraglia; Sá, Magali Romero. The discovery of Trypanosoma cruzi and Chagas disease (1908-1909): tropical medicine in Brazil. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 16, supl. 1, p. 13-34, 2009.

KROPF, Simone Petraglia. Carlos Chagas e os debates e controvérsias sobre a doença do Brasil (1909-1923). História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 16, supl. 1, p. 205-227, 2009.

KROPF, Simone Petraglia; Lacerda, Aline Lopes de. Carlos Chagas, um cientista do Brasil (Carlos Chagas, scientist of Brazil). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2009.

Concluí minha graduação em Ciências Sociais na UFPR em 1990 e realizei o mestrado e o doutorado em Sociologia no Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (atual IESP/UERJ), onde desenvolvi uma tese defendida em 1999 que resultou no livro A Conquista do Oeste: a fronteira na obra de Sérgio Buarque de Holanda (Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000). Entre agosto de 2018 e julho de 2019 realizei meu Pós-Doutorado nos Estados Unidos, na Universidade de Illinois, em Urbana-Champaign.

Ingressei na Casa de Oswaldo Cruz em 1999, onde trabalho no Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde desde seu início. Integro também o quadro complementar de professores da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, lecionando nos Departamentos de Ciências Sociais e de História. Sou especialista em História Intelectual e História das Ciências e minhas atividades se concentram nos temas do modernismo e da eugenia.
Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Sites:  
Academia.edu 
Google Scholar  

Grupos de pesquisa do CNPq: 
Ciência, Saúde e Pensamento Social
Intelectuais, ciência e nação

Linhas de pesquisa no Programa:
História da Medicina e das Doenças

Projetos de pesquisa no Programa:
Escolas Agrícolas, pesquisas genéticas e movimento eugênico: comparações entre o Brasil e os Estados Unidos a partir das trajetórias de Eugene Davenport, Octavio Domingues e Salvador de Toledo Pizza (1895-1933) - Financiamento: CNPq

Escolas de Agricultura, genética e eugenia: da Escola Superior Luiz de Queiroz (SP) à Escola Nacional de Agricultura (RJ) (1929-1945) – Financiamento: FAPERJ

Produção em destaque:

WEGNER, Robert (com Vanderlei Sebastião de Souza). Eugenics, Genetics and Anthropology in Brazil: The Masters and the Slaves, Racial Miscegenation and Its Discontents. In: Warwick Anderson; Ricardo Roque; Ricardo Ventura Santos. (Org.). Luso-Tropicalism and its Discontents: The Making and Unmaking of Racial Exceptionalism. New York; Oxford: Berghahn Books, 2019. pp. 89-111.

WEGNER, Robert (com Giselle Venâncio). Uma vez mais, Sérgio e Gilberto Debates sobre o ensaísmo no suplemento literário do Diário de Notícias (1948-1953). Varia História, v. 34, p. 729-762, 2018.

WEGNER, Robert. Dois geneticistas e a miscigenação. Octavio Domingues e Salvador de Toledo Piza no movimento eugenista brasileiro (1929-1933). Varia Historia (UFMG), v. 33, p. 79-107, 2017. 

WEGNER, Robert. A montanha e os caminhos: Sérgio Buarque de Holanda entre Rio de Janeiro e São Paulo. Revista Brasileira de História, v. 36, p. 111-133, 2016. 

WEGNER, Robert. A conquista do Oeste: a fronteira na obra de Sérgio Buarque de Holanda. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2000.

rachel

Pesquisadora do Departamento de Pesquisa e Professora do Programa de História das Ciências e da Saúde\Casa de Oswaldo Cruz, com Bacharelado e Licenciatura em História (PUC-RJ, 1979), Mestrado em História (UFF, 1986), e Doutorado em História Social (USP, 1997), este sob a orientação da Profa.Dra. M.Lígia Coelho Prado. Em 2012 realizou Estágio Pós-Doutoral, com apoio da CAPES, no Centro de Estudios Historicos\Colegio de México (México), sob a supervisão do Prof.Dr.Guillermo Palácios, com o projeto de pesquisa “A institucionalização das ciências no contexto de consolidação e modernização do Estado Nacional no México e no Brasil (séc.XIX/XX)”. É sub-editora da Seção Fontes do periódico História, Ciências, Saúde-Manguinhos, membro do Conselho Científico do Boletín de la Sociedad Mexicana de Historia y Filosofía de la Medicina e do Conselho Consultivo Científico da Revista da Sociedade Brasileira de História da CIência. Atualmente coordena e desenvolve o projeto “Ciência para todos: uma história da vulgarização científica entre os séculos XIX e XX no espaço ibero-americano” (PROEP/COC), que busca entender e analisar o processo de vulgarização das ciências no contexto ibero-americano, seus atores e principais instrumentos entre 1870 e 1930, analisando as distintas formas de vulgarização das ciências: livros e revistas para crianças, revistas dedicadas à vulgarização das ciências, e conferências populares. Coordena o Grupo de Pesquisa\CNPq História da medicina e da saúde: espaços institucionais e atores, e o Dicionário Histórico-Biográfico das Ciências da Saúde no Brasil – 1832-1930 (www.dichistoriasaude.coc.fiocruz.br). Tem experiência nas áreas de pesquisa e ensino em História, com ênfase em História das Ciências, especialmente nos seguintes temas: História das instituições científicas; Ciência e identidade nacional no Brasil (séculos XVIII e XIX); História das ciências na América Latina; História da medicina no Brasil.

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4844817195633968

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Grupo de pesquisa do CNPq:
História da medicina e da saúde: espaços institucionais e atores. 

Linhas de pesquisa no Programa:
História das Ciências Biomédicas

Projetos de pesquisa no Programa:
História da institucionalização das Ciências Biomédicas no Brasil e na América Latina. (coordenadora)
Compreender Auguste de Saint-Hilaire, viajante e botânico.

Produção em destaque:
FONSECA, Maria Rachel Fróes da. “En honor de la patria y de la nación”:  José Antonio Alzate e a construção da ciência na Nova EspanhaDimensões - Revista de História da UFES, Vitória, n.35, p.10-37, jul./dez. 2015

FONSECA, Maria Rachel Fróes da. Ciência e educação na Escuela Nacional Preparatoria (México, 1867)História Unisinos, São Leopoldo, RS, v.18, n.1, p.56-67, jan./abr. 2014.  

FONSECA, Maria Rachel Fróes da. A institucionalização das práticas científicas na Corte do Rio de Janeiro. In: KURY, Lorelai; GESTEIRA, Heloisa (orgs.). Ensaios de história das ciências no Brasil. Das Luzes à nação independente. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012.  pp.293-305. 

FONSECA, Maria Rachel Fróes da. A Institucionalização das ciências no contexto de consolidação e modernização do Estado Nacional no México e no Brasil (séc.XIX/XX). In: ALVARADO, Minerva Contreras (ed.). Avances en Historia y Estudios Sociales sobre la Ciencia y la Tecnología. Trabajos en la SMHCT 2011-2012. Ciudad de México: Sociedad Mexicana de Historia de la Ciencia y la Tecnología, 2012. pp. 291-311.

FONSECA, Maria Rachel Fróes da. A natureza concedeu a cada país ou a cada clima seus privilégios exclusivos: a natureza brasileira na obra de Manuel Arruda da Câmara. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v.5, n.2, p.243-252, 2010.  

Possui Graduação em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestrado em Sociologia e Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, e doutorado em Sociologia pelo IUPERJ. É docente do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde (COC/Fiocruz). Suas áreas de pesquisa e ensino são: institucionalização das ciências biomédicas; história da saúde; sociologia da ciência; relação de gênero nas ciências. Suas pesquisas em andamento versam sobre políticas nacionais de ciência e tecnologia; institucionalização das ciências no âmbito universitário; profissionalização da ciência e sua relação com mobilidade social e gênero no Brasil.

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 

Grupo de pesquisa do CNPq:
Estudos históricos e sociais da ciência e da tecnologia

Linhas de pesquisa no Programa:
História das Ciências Biomédicas

Projetos de pesquisa no Programa:
Ciência no Brasil no Pós-II Guerra: políticas, instituições e atores. (coordenadora)

Produção em destaque:
AZEVEDO, N.; FERREIRA, L.  Epidemias, vacinas e tecnologia: experiência de inovação em ciência, tecnologia e saúde na Fiocruz em meados dos anos 1970. Revista Brasileira de Inovação, Campinas (SP), 16 (1), p.167-180, jan/jun 2017

UEDES, M.; AZEVEDO, N.; FERREIRA, L. O. A produtividade científica tem sexo? Um estudo sobre bolsistas de produtividade do CNPq. Cadernos Pagu (UNICAMP. Impresso), v. 45, p. 367-399, 2015.

AZEVEDO, Nara.; Lima, Nísia. Ciência como compromisso social: depoimento de um cientista brasileiro. In: Morel, Regina; Morel, Leo; Cohn, Amélia. (Org.). Carlos Morel, 70 anos. Trajetória de um cientista brasileiro. 1ed. Rio de Janeiro: Beco do Azougue Editorial Ltda., 2013, v. 1, p. 55-84.

FERREIRA, L. O.; AZEVEDO, N. Sucesso e Fracasso das Faculdades de Filosofia: ciência, cientistas e universidade no Brasil, 1930-1960. Locus (UFJF), v. 18, p. 283-210, 2012.

AZEVEDO, Nara; Ferreira, Luiz Otávio. Os dilemas de uma tradição científica: ensino superior, ciência e saúde pública no Instituto Oswaldo Cruz, 1908-1953. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 19, p. 581-610, 2012

luizantonio

Graduado em Ciências Sociais (UFF, 1985), mestre em Sociologia e Antropologia (UFRJ. 1989) e Doutor em História Social (USP, 1996). É pesquisador do Departamento de Pesquisa em História das Ciências e Saúde e docente do Programa de Pós-graduação em História das Ciências e da Saúde, ambos vinculados à Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz.  É professor do Departamento de Ciências Sociais e Educação de Faculdade de Educação da UERJ. Atualmente suas áreas de interesse em pesquisa são: história da assistência com ênfase na relação entre filantropia, instituições de assistência e políticas sociais; história das ciências e da saúde com ênfase na temática do gênero e profissões técnico-científicas.


Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Grupo de pesquisa CNPq:
História da assistência à saúde

Linha de pesquisa no Programa:
História das Políticas, Instituições e Profissões em Saúde
História da Ciências Biomédicas

Projetos de Pesquisa no Programa:
A interiorização da assistência: um estudo sobre a expansão e a diversificação da assistência à saúde no Brasil (1808-1945).
Enfermagem e Raça: biografia coletiva de mulheres negras e suas trajetórias em escolas de enfermagem no Brasil (1920-1960).
Estudantes de Enfermagem do Brasil: identidade profissional e perfil sociocultural (1920-1960).

Produção de Destaque:
GUEDES, M.; AZEVEDO, N.; FERREIRA, Luiz Otávio. A produtividade científica tem sexo? Um estudo sobre bolsistas de produtividade do CNPq. Cadernos Pagu, v. 45, p. 367-399, 2015

Sanglard, G.; FERREIRA, Luiz Otávio. Pobreza e Filantropia: Fernandes Figueira e a assistência à infância no Rio de Janeiro (1900-1920). Estudos Históricos (Rio de Janeiro), v. 27, p. 71-91, 2014.

FERREIRA, Luiz Otávio; AZEVEDO, Nara; Os dilemas de uma tradição científica: ensino superior, ciência e saúde pública no Instituto Oswaldo Cruz, 1908-1953. História, Ciências, Saúde-Manguinhos (Impresso), v. 19, p. 581-610, 2012

Encontro às Quintas

Nas últimas décadas do século 19, quando o número de libertos em cidades como Salvador e Rio de Janeiro já superava o de escravos e o final da escravidão era apenas uma questão de tempo – já que o tráfico havia sido abolido em 1850 e a lei que libertava o ventre fora aprovada em 1871 – intelectuais discutiam o problema dos trabalhadores egressos da escravidão nos meios letrados.

Contato

map

Centro de Documentação e História da Saúde (CDHS) - sala 307                                                                 
Fundação Oswaldo Cruz - Av. Brasil, 4365, Manguinhos - Rio de janeiro. CEP 21040-900
Tel.: (+ 55 21) 3865-2286 / 3865-2287 / 3865-2288
Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Matrícula e inscrição em disciplinas 2022

Calendário acadêmico 2022

Conheça o programa

Eventos

          BLOG "CORPOS QUE FALAM"

8º Seminário Fluminense de Pós-Graduandos em História

 

 

 

 

 

 

 
 

 

  

Todo o conteúdo do Portal COC pode ser copiado, distribuído, exibido e reproduzido livremente, para fins não comerciais, desde que seja citada a fonte. A utilização para fins comerciais está sujeita a uma licença da COC/Fiocruz