Ir para o conteúdo

magali1É graduada em Ciências Biológicas pela Fundação Técnico-Educacional Souza Marques (1976), mestre em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1986) e doutora em History and Philosophy of Science pela University of Durham (1996). É pesquisadora da Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz e professora do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde (COC/Fiocruz), sendo atualmente vice-diretora de Pesquisa, Educação e Divulgação Científica da Casa de Oswaldo Cruz. É bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq, nível 2, e do Programa Cientista do Nosso Estado/FAPERJ. Integra o conselho consultivo da Sociedade Brasileira de História da Ciência (2011-2012). É membro do conselho editorial do periódico Medical History. Suas áreas de pesquisa são: história das ciências, história da medicina tropical; história das relações científicas internacionais; viagens e coleções científicas; ciência, meio ambiente e saúde. Atualmente desenvolve pesquisas sobre as relações científicas estabelecidas entre o Brasil e a Alemanha, a França e os Estados Unidos na primeira metade do século XX.

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Grupos de pesquisa do CNPq:
Ciência e medicina na história das relações transnacionais
História das Ciências na Amazônia

Linhas de pesquisa no Programa:
História das Ciências Biomédicas
História da Medicina e das Doenças

Projetos de pesquisa no Programa:
Ciência e poder: influências e estratégias de aproximação da Alemanha, França e Estados Unidos com o Brasil entre 1919 e 1945. (coordenadora) – (concluído)
Ciência e medicina nas relações científicas transnacionais. (coordenadora) – (concluído)
Inventário da natureza do Brasil: as atividades científicas da Comissão Rondon (1907-1930) – (concluído)
Medicina e ciência na história da agenda ambiental brasileira dos séculos XIX e XX: atores, idéias e instituições - (concluído)
Os usos do darwinismo no Brasil antes e depois da Segunda Guerra Mundial (1919-1969): os casos de Alípio de Miranda Ribeiro - (concluído)
História da Medicina Tropical.

Produção em destaque:
SÁ, Magali Romero. Os estudos em malária aviária e o Brasil no contexto científico internacional (1907-1945). História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 18, n. 2, p. 499-518, 2011.

SÁ, Magali Romero; SILVA, André Felipe Cândido da. La Revista Médica de Hamburgo y la Revista Médica Germano-Ibero-Americana: diseminacion de la medicina germánica en España y América Latina (1920-1933). Asclepio (Madrid), v. LXII, p. 7-34, 2010.

SÁ, Magali Romero; Viana, Larissa M. La science médicale entre la France et le Brésil: stratégies d’échange scientifique dans la période de l entre-deux guerres. Cahiers des Amériques Latines (Paris), v. 65, p. 65-88, 2010.

SÁ, Magali Romero. A ciência, as viagens de coleta e as coleções: medicina tropical e o inventário da história natural na Primeira República. In: Heizer, Alda; Videira, Antonio Augusto Passos (orgs.). Ciência, Civilização e República nos Trópicos. Rio de Janeiro: Mauad X / Faperj, 2010, p. 227-243.

SÁ, Magali Romero. Relações médico-científicas entre Brasil e Japão no entreguerras. In: BENCHIMOL, Jaime L.; SÁ, Magali Romero; R.; KODAMA, Kaori; ANDRADE, Márcio Magalhães; CUNHA, Vivian da S. (orgs.). Cerejeiras e cafezais: relações médico-científicas entre Brasil e Japão e a saga de Hideyo Noguchi. Rio de Janeiro: Bom Texto Editora, 2009, p. 75-121 [edição em português e inglês].

BENCHIMOL, Jaime Larry; SÁ, Magali Romero. Adolpho Lutz - Obra Completa. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2004, 2005, 2006, 2007.

rosto luiz antonioSou graduado em História pela UFRJ (1987), mestre em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da UERJ (1994) e doutor em História Social pela USP (2001). Na Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz trabalho como pesquisador no Departamento de Pesquisas em História das Ciências e da Saúde e como professor colaborador do PPGHCS. Atuo como professor permanente no Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e da Mulher do Instituto Fernandes Figueira (Fiocruz) e como professor permanente do Mestrado Profissional em Saúde da Família da Universidade Estacio de Sá. Nessa última instituição leciono disciplinas relacionadas à saúde pública no curso de graduação em medicina. Desenvolvo estudos sobre os conhecimentos e práticas relacionadas ao controle dos cânceres femininos no Brasil; sobre nascimento e contracepção no Brasil e sobre a trajetória da atenção primária no Brasil.

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Sites: www.historiadocancer.coc.fiocruz.br
         Academia.edu

Grupos de pesquisa do CNPq:
História do controle do câncer no Brasil
Estudos interdisciplinares em saúde sexual e reprodutiva
Rede SUS e processo de trabalho em Saúde da Família 

Linhas de pesquisa no Programa:
História das Políticas, Instituições e Profissões em Saúde

Projetos de pesquisa no Programa:
O controle do câncer no Brasil na segunda metade do século XX. (coordenador)

Produção em destaque:
ALVES NETO, Luiz; TEIXEIRA, Luiz Antonio. De doença da civilização a problema de saúde pública: câncer, sociedade e medicina brasileira no século XX. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Série ciências humanas, v. 12, p. 173-188, 2017.

TEIXEIRA, Luiz Antonio. Dos gabinetes de ginecologia às campanhas de rastreamento: a trajetória da prevenção ao câncer de colo do útero no Brasil. História, Ciência, Saúde – Manguinhos. n. 22, v. 1, p. 221-240, jan.-mar. 2015.

TEIXEIRA, L. A. Câncer de mama e de colo de útero: conhecimentos, políticas e práticas. 1. ed. Rio de Janeiro: Outras Letras, 2015.

PAIVA, Carlos Henrique Assunção; TEIXEIRA, Luiz Antonio. Reforma sanitária e a criação do Sistema Único de Saúde: notas sobre contextos e autores. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 21, p. 15-35, 2014.

TEIXEIRA, Luiz Antonio; LOWY, Ilana. Imperfect tools for a difficult job: Colposcopy, 'colpocitology' and screening for cervical cancer in Brazil. Social Studies of Science. v. 41, July  2011, p. 585-608.

ESCOREL, Sarah ; TEIXEIRA, Luiz Antonio. História das Políticas de Saúde no Brasil de 1822 a 1963: do Império ao Desenvolvimentismo Populista. In: Lígia Giovanella; Sarah Escorel; Lenaura V.C. Lobato; Antonio Ivo de Carvalho; José Noronha. (Orgs.). Compêndio de Políticas e Sistema de Saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Editora da Fiocruz, 2008, p. 115-155.

jaimePossui graduação em história no Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da Universidade Federal Fluminense (1976); mestrado em Planejamento Urbano e Regional pela COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro (1982); especialização em restauração de monumentos históricos na Itália (1983); e doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense (1995). É pesquisador da Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz. Foi editor científico de História, Ciências, Saude — Manguinhos de janeiro de 1997 a março de 2015. Desde então é membro do Conselho Editorial desta revista. É professor do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz e do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (Instituto Leônidas e Maria Deane, Manaus). Seus temas de pesquisa e ensino situam-se nas áreas de História das Ciências da Vida, História da Medicina Tropical e da Saúde Pública e agora, em menor medida, História Urbana.

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Grupos de pesquisa do CNPq:
Ciência e medicina na história das relações transnacionais
História das Ciências na Amazônia

Linhas de Pesquisa no Programa:
História da Medicina e das Doenças
História das Ciências Biomédicas

Projetos de pesquisa no Programa:
História da Medicina Tropical. (coordenador)
Ciência e medicina nas relações científicas transnacionais.


Produção em destaque:
BENCHIMOL, Jaime Larry. Bacteriologia e medicina tropical britânicas: uma incursão a partir da Amazônia (1900-1901). Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 5, n. 2, p. 315-344, 2010. 

BENCHIMOL, Jaime Larry; SÁ, Magali Romero; R.; KODAMA, Kaori; ANDRADE, Márcio Magalhães; CUNHA, Vivian da S. (orgs.). Cerejeiras e cafezais: relações médico-científicas entre Brasil e Japão e a saga de Hideyo Noguchi. Rio de Janeiro: Bom Texto Editora, 2009, p. 75-121 [edição em português e inglês].

BENCHIMOL, Jaime Larry; SILVA, André Felipe Cândido da. Ferrovias, doenças e medicina tropical no Brasil da Primeira República. História, Ciências, Saúde-Manguinhos (Impresso), v. 15, n. 3, p. 719-762, 2008.

BENCHIMOL, Jaime Larry; SÁ, Magali Romero. Adolpho Lutz - Obra Completa. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2004, 2005, 2006, 2007.

BENCHIMOL, Jaime Larry (coord.). Febre amarela: a doença e a vacina, uma história inacabada.  Rio de Janeiro: Editora Fiocruz/Bio-Manguinhos, 2001.  

BENCHIMOL, Jaime Larry. Dos micróbios aos mosquitos: febre amarela e a revolução pasteuriana no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz/Editora UFRJ, 1999.

lorelaiLorelai Kury é licenciada em História pela PUC-RJ (1986) e mestre em História pela UFF (1990). Tem D.E.A. em Histoire pela École de Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), Paris (1991), e doutorado em Histoire et Civilisations também pela EHESS (1995). É bolsista de produtividade do CNPq, nível 1. É pesquisadora da Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz e professora do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde (COC/Fiocruz), ministrando disciplinas em História das ciências, historiografia, teoria e metodologia. É também professora da área de Teoria e Metodologia do Departamento de História da UERJ. Dedica-se a pesquisas em história das ciências nos séculos XVIII e XIX, abordando em particular temas relacionados à história natural, natureza e medicina. Vem trabalhando sobre as práticas de leitura e de publicação de livros, manuais e periódicos científicos, desde o advento da imprensa no Brasil até meados do século XIX. Escreve atualmente um livro sobre o naturalista e viajante francês Auguste de Saint-Hilaire.

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Grupos de pesquisa do CNPq:
Escravidão, raça e saúde 
Sociedade, economia e natureza do sul da Bahia

Linhas de pesquisa no Programa:
História das Ciências Biomédicas

Projetos de pesquisa no Programa:
Compreender Auguste de Saint-Hilaire, viajante e botânico. (coordenadora)
História, natureza e ciência (séculos XVIII e XIX). (coordenadora)

Produção em destaque:
KURY, Lorelai. O naturalista Veloso. Revista de História (Usp), jan-jun, v. 172, p. 172-243, 2015.

KURY, Lorelai. As mil vozes da natureza. In: Kury, Lorelai (org.). Representações da Fauna no Brasil, séculos XVI-XX. Rio de Janeiro, A. Jakobsson, 2014.

KURY, Lorelai. Saint-Hilaire: viagem e botânica filosófica. In: Gesteira, Heloisa; Carolino, Luís Miguel; Marinho, Pedro (orgs.). Formas do Império. Ciência, tecnologia e política em Portugal e no Brasil. Séculos XVI ao XIX. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2014.

KURY, Lorelai. La nature de la nation: le climat et les gens du Brésil (1780-1836). Annales Historiques de la Révolution Française, v. 3, p. 129-152, 2011.

KURY, Lorelai (org.). Iluminismo e Império no Brasil: O Patriota (1813-1814). Rio de Janeiro: Fiocruz/Biblioteca Nacional, 2007.

KURY, Lorelai. Homens de ciência no Brasil: impérios coloniais e circulação de informações (1780-1810). História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 11, supl. 1, p. 109-129, 2004. 

KURY, Lorelai. Histoire naturelle et voyages scientifiques (1780-1830). Paris: L'Harmattan, 2001.

Possui graduação em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994), mestrado (1997) e doutorado (2003) em História Social pela Universidade Estadual de Campinas. É pesquisadora da Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz e professora do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde (COC/Fiocruz). Tem como áreas de pesquisa e ensino: história da saúde pública no Brasil, escravidão e saúde, história das artes de curar, história dos hospitais e da assistência à saúde. Suas pesquisas em andamento versam sobre práticas de cura, epidemias e assistência à saúde, com foco nas relações entre os diversos tipos de terapeutas e de doentes, e entre o Estado e instituições de caridade, assim como sobre epidemias e população escravizada no Rio de Janeiro do século XIX.

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Grupos de pesquisa do CNPq:
Escravidão, raça e saúde 
História da assistência à saúde 
História da Medicina e das doenças

Linhas de pesquisa no Programa:
História das Políticas, Instituições e Profissões em Saúde
História da Medicina e das Doenças

Projetos de pesquisa no Programa:
Estado e caridade: assistência à saúde (séculos XIX e XX). (coordenadora)
Health and Development in Africa and the African Diaspora, Benin, Brazil and the British Caribbean during the 2nd half of the 19th century. (coordenadora) – Concluído
Doenças e práticas de cura entre escravos e forros no Rio de Janeiro e em Salvador, século XIX. (coordenadora)
Os Filantropos da Nação: ciência, infância e maternidade na construção da assistência no Rio de Janeiro,1899-1947. - Concluído
Etnicidade, africanos e doenças no atlântico: padrões sócio-demográficos e assistência no Rio de Janeiro (1810-1888) 
Mapeamento dos Ofícios de Cura no Brasil entre segunda metade do século XIX e início do século XX. - Concluído
História da vigilância sanitária no Brasil. – Concluído

Produção em destaque:
PIMENTA, Tânia Salgado; DELAMARQUE, Elizabete V.. O estado da Misericórdia: assistência à saúde no Rio de Janeiro, século XIX. In: SANGLARD, Gisele Porto; FERREIRA, Luiz Otávio; FREIRE, Marta Martha de Luna; BARRETO, Maria Renilda N.; PIMENTA, Tânia Salgado (orgs.). Filantropos da Nação: sociedade, saúde e assistência no Brasil e em Portugal. Rio de Janeiro: Editora FGV/FAPERJ, 2015.

GOMES, F. S. (Org.); Kodama, K. (Org.); PIMENTA, T. S. (Org.). Saúde e Escravidão. Número especial de História, Ciências, Saúde - Manguinhos. v. 19, suplemento, 2012.

PIMENTA, Tânia Salgado. La asistencia sanitaria em tiempos de epidemia em Río de Janeiro en el sigloXIX. Dynamis (Granada), v. 31, n. 1, p. 21-40, 2011.

FERREIRA, Luiz Otávio; PIMENTA, Tânia Salgado; SANGLARD, Gisele Porto; FREIRE, Maria Martha de Luna; BARRETO, Maria Renilda N. (orgs.) Dossiê “História, Assistência e Saúde”. Varia História, v. 26, n.44, 2010.

PIMENTA, Tânia Salgado. Doses infinitesimais contra a epidemia de cólera em 1855. In: Dilene Raimundo do Nascimento; Diana Maul de Carvalho (orgs.). Uma história brasileira das doenças. Brasília: Paralelo 15, 2004, p. 31-51.

PIMENTA, Tânia Salgado. Barbeiros- sangradores e curandeiros no Brasil (1808-28). História, Ciências, Saúde - Manguinhos, vol. 5, n. 2, p.349-374, 1998.

Encontro às Quintas

Nas últimas décadas do século 19, quando o número de libertos em cidades como Salvador e Rio de Janeiro já superava o de escravos e o final da escravidão era apenas uma questão de tempo – já que o tráfico havia sido abolido em 1850 e a lei que libertava o ventre fora aprovada em 1871 – intelectuais discutiam o problema dos trabalhadores egressos da escravidão nos meios letrados.

Contato

map

Centro de Documentação e História da Saúde (CDHS) - sala 307                                                                 
Fundação Oswaldo Cruz - Av. Brasil, 4365, Manguinhos - Rio de janeiro. CEP 21040-900
Tel.: (+ 55 21) 3865-2286 / 3865-2287 / 3865-2288
Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Matrícula e inscrição em disciplinas 2022

Calendário acadêmico 2022

Conheça o programa

Eventos

          BLOG "CORPOS QUE FALAM"

8º Seminário Fluminense de Pós-Graduandos em História

 

 

 

 

 

 

 
 

 

  

Todo o conteúdo do Portal COC pode ser copiado, distribuído, exibido e reproduzido livremente, para fins não comerciais, desde que seja citada a fonte. A utilização para fins comerciais está sujeita a uma licença da COC/Fiocruz